QUANDO OS SABERES SÃO MUITOS: REFLEXÕES E PROPOSTAS EPISTEMOLÓGICAS ACERCA DO FAZER ANTROPOLÓGICO

  • Nathália Dothling Reis
Palavras-chave: Epistemologia; Antropologia; Abordagem biográfica; Saberes nativos.

Resumo

Nesse ensaio, trago reflexões e propostas epistemológicas acerca do fazer antropológico. Durante seus trabalhos, profissionais da Antropologia deparam-se, desde a formação da disciplina com a alteridade. A maneira de lidar com a diferença não é consensual e, dependendo das escolhas, trazem importantes consequências. Aqui, trato de mostrar a importância que o pensamento de Lévi-Strauss tem para a Antropologia ocidental, na medida em que propõe uma maneira distinta de lidar com os saberes e pensamentos dos grupos estudados por antropólogas e antropólogos. Argumento que esse legado epistemológico do autor segue sendo central nos trabalhos antropológicos contemporâneos e no pensamento pósestruturalista e mostro como o trabalho de campo configura-se em um método eficaz para que profissionais da Antropologia experimentem “outros mundos” e aprendam com as pessoas sobre esses mundos. Além disso, proponho trabalhar com a abordagem biográfica, como forma de romper com as hierarquias de saberes e valorizar os diversos saberes e construções de mundo.

Publicado
2018-09-14